skip to Main Content

Livro discute as múltiplas faces
da capital brasileira

Um livro independente e crítico sobre Brasília, mas também capaz de lançar um olhar amoroso e reflexivo sobre a capital brasileira e seu futuro. Assim é Brasília aos 50 anos. Que cidade é essa?, que chegou ao público quando a cidade completou seu cinquentenário. A crise política devastadora que envergonhou seus habitantes, e coincidiu com a data, está contemplada na obra, que não se limita, no entanto, a enxergar Brasília pelo viés do poder. Suas múltiplas facetas, da cultura à economia, da história aos personagens que a construíram, estão retratadas nos textos e fotos que compõem a publicação.

Foto: Ricardo Labastier

Foto: Ricardo Labastier

A coletânea de ensaios de 14 autores publicada pela Tema Editorial foi organizada pelas jornalistas Beth Cataldo e Graça Ramos, que contaram com um projeto gráfico inovador de Chico Amaral e a maneira especial de enxergar a cidade do fotógrafo Ricardo Labastier. Os textos levam a assinatura de Andrea Jubé Vianna, Conceição Freitas, Gustavo Lins Ribeiro, José Rezende Jr., Leonardo Barreto, Mara Bergamaschi, Marco André Schwarzstein, Marcos Magalhães, Mauro Santayana, Ricardo Caldas, Ruy Fabiano e Sérgio de Sá.

Na apresentação do livro, as organizadoras partilham sua abordagem sobre o tema: “Nascida como proposta urbana de perspectivas arrojadas, a capital brasileira permanece incompreendida – política, histórica e culturalmente. Brasília aos 50 anos. Que cidade é essa? faz-se da pretensão de apresentar vários olhares sobre a cidade surgida da prancheta e construída ao longo de cinco décadas pelo esforço de seus habitantes. Do mapa à cartografia, cidades são roteiros de afetos, e a Brasília que emerge neste livro é assim: plural, complexa e contraditória, símbolo e exceção.”

No prefácio, o jornalista Rubem Azevedo Lima notou como traço comum nos autores a convicção de que é possível fazer as instituições funcionarem melhor, “para o bem estar ético, político, econômico, jurídico e social dos brasileiros e brasilienses”. Ele acrescenta que “não há por que duvidar disso”. De fato, o que anima os autores é claramente a preocupação em discutir a cidade, encontrar suas razões e descaminhos, apontar saídas e ideias para cumprir o seu destino. Afinal, é o Brasil todo que passa pelo Planalto Central.

Back To Top